#NawMeLambe

Com um beijo casto em minha bochecha suada ela se levanta. Caminha nua em direção ao banheiro, enquanto me conta sobre o dia que vai desbravar após o banho. A água do chuveiro corre pelo corpo dela com a mesma ansiedade que minha língua o fez, há uma hora atrás.

Deus me livre desse sorriso maravilhoso! 
Eu? Querendo essa boca macia na minha, essa língua quente me enfraquecendo o juízo? 
Nunquinha! 

Sente sim, eu deixo.
Pode sentir saudade da gente. 
Eu sei que faço como você gosta, que entre nós era quente, que a gente era gostoso demais...

Chupa minha buceta? 

É. Assim mesmo, sem reservas.

Os pudores e "liricismos" dos meus poemas não me acompanham até a cama. Aqui, somos só eu e você. 

Vem! 

Esse ano será dos prazeres. 

O ano onde os calores do corpo inundarão a alma.