ME COME!

(Tatiana Gerivazo - @tatagezzo)

.

 Não vou falar

Gosto de quando deito na sua cama e fico sentindo teu cheiro no travesseiro enquanto espero você sair do banho.

Qualquer movimento brusco teu enquanto dorme fazem minhas coxas doerem de tanto se contraírem num rápido delírio de que você vai me puxar pra ti.

Você se deitou do meu lado e me beijou, abriu meu sutiã e deslizou os dedos por cima da renda preta que cobria meus seios e então... não transou comigo.

Fiquei semanas com o corpo latejando da nuca até o tornozelo, por onde você sempre começa a trilhar meu corpo, e não teve masturbação que fizesse meu corpo gozar o prazer que eu sinto só de você me abraçar.

Nós nunca chegamos até os finalmentes e você me paralisa tanto que parte de mim teme não aguentar.

Tenho a impressão de que você transa do jeito que eu gosto.

Teu sexo será minha droga e minha ruína.

Da última vez era uma virgem aprendendo a transar.

Você faz eu me sentir com aquele corpo virgem aprendendo a se dar, mas a cabeça da mulher que sou não consegue.

Você me nega o sexo e eu me nego a implorar.

Venho aqui nesse texto que a mão teme em assinar pra te pedir o que ninguém nunca vai ouvir.

Dou dicas aqui e ali torcendo para que você decifre que sou eu aqui usando toda minha poesia pra te pedir:

Me come!