JOELHO ROXO.

LEMBRANÇA BOA.

GOZADA NA BOCA.

-Maconha? - perguntei

-Não, haxixe. Já experimentou? - me respondeu prontamente

Preferi continuar com meu vinho branco que estava descendo deliciosamente gelado na noite quente.

Enquanto ele fumava com o irmão e este me contava do efeito diferente que o haxixe proporcionava, eu acariciava a perna dele com minha panturrilha.

Já estava louca pra beijá-lo mais uma vez.

A boca macia e vermelha era um convite que eu não podia resistir.

Na cobertura, dividíamos a garrafa que nos foi indicada pra compra.

Enquanto bebia, pensamentos carregados de tesão começavam a invadir minha cabeça.

A buceta respondia da melhor maneira: encharcando.

Por baixo do vestido, a calcinha preta de renda - presente valiosíssimo do ex - estava completamente molhada.

Sem sutiã, conseguia sentir meus mamilos pressionando o decote.

Dei um beijo molhado e minha mão percorreu suave e brevemente o pau dele, duro.

Só com meu beijo.

Quando nosso companheiro foi embora, trocamos olhares e começamos a nos beijar ali mesmo.

Rodeados por prédios altos, fazíamos um convite a quem quisesse nos ver.

Ele tirou minha roupa e se deliciou com a surpresa do piercing gelado contrastando com o calor dos seios.

Me virou como se não fizesse esforço e tirando a calça, pude finalmente abocanhá-lo.

Aquele pau estava a espera da minha boca.

Sob a luz da lua crescente, o desejo aumentou.

O vento não conseguiu esfriar o calor que estávamos sentindo.

Me comeu com facilidade.

Firme, me girou e colocou de quatro.

Empinei a bunda para que ele me comesse e pudesse me dedar ao mesmo tempo.

Me bateu, puxou meu cabelo e eu gozei deliciosa mas não silenciosamente com ele dentro de mim.

A sensação de sermos vistos aguçava meu desejo.

Os tapas que ele me dava, estalaram e deixaram marcas.

Ajoelhei para chupa-lo mais uma vez.

Joelho roxo. Lembrança boa. Gozada na boca. Quero mais.

-Vamos comer algo?

-Minha fome é de gozar em você. - Respondi

Me pegou na cozinha e foi me levando aos beijos pro quarto.

Sentei nele, rebolei e gozei mais uma vez.

Quero que ele me veja sentando.

Por trás.

Que delícia de posição.

Que delicia olhar pra trás, entre os cabelos, e vê-lo com aquela cara de tesão.

Ver uma mão segurando minha cintura e outra o meu cabelo.

Sento com força até não conseguir mais de tanto prazer.

Ele goza em mim.

Fundo.

Dentro.

Sinto escorrer e me delicio com a sensação.

Me puxa, me beija e me faz um cafuné.

Até dormirmos.