UM "EU TE AMO" PODE SER FALSO, MAS UM PAU DURO É SEMPRE VERDADEIRO!

Ele não diz que me ama, mas eu também não quero. Quer dizer, já quis. A história é meio longa, mas hoje eu me contento com a maior verdade que ele me diz: aquele pau duro apontado na minha direção e o tesão explodindo enquanto a gente transar gostoso.

Nunca fizemos "amor" como dizem por aí. Houve uma época que eu cheguei a confundir as coisas, mas depois tudo foi se ajustando.

Se a sinceridade nunca foi o nosso forte, pelo menos nossos corpos nunca conseguiram esconder suas verdades.

Então, queridos, quando disserem a vocês que o sentimento não existe, mas que o desejo é genuíno, acreditem.

E se você não estiver vivendo nada de interessante, se jogue. "Ah, mas é sempre um risco!", você me dirá.

Amor! Risco é escorregar no box, bater a cabeça e nunca mais acordar. Risco é atravessar a rua. Risco é discutir política.

Sexo é Vida, isso sim.

Vai transar, ser feliz e arrumar umas histórias pra contar.

Aquela ligação de madrugada que te faz largar tudo, aquela foda no meio do horário de trabalho depois que você fala que tá passando mal, aquela rapidinha no carro dentro do estacionamento do shopping, aquele fim de semana de muito sexo na sua casa ou na do outro.

Vai dar, vai gozar, vai sorrir enquanto mete.

Ele não diz que me ama e já passei da fase de querer isso há algum tempo, mas me faz gozar como eu gosto.

E isso pra mim tem bastado.