COM TODO RESPEITO, TU TEM UMA

PUTA BOQUINHA LINDA DA PORRA!

Eu olho pra sua boca e penso em mil coisas para fazer com ela.

Entre sentar, chupar e beijar, eu fico com todas as opções, então a única certeza que eu tenho é que você vai ficar com ela bem anestesiada de tanto eu te usar.

Posso colocar nesses termos? "Te usar"? Se você não achar muito agressivo e não tiver medo de ficar com os músculos dormentes por uns, digamos, três dias, tudo bem?

Eu olho pro teu sorriso e - puta que pariu - sinto um tesão danado nele. Minha vontade é te ver no meio do oral, me olhando lá debaixo e perguntando "tá gostoso assim?" e sorrindo em seguida.

Óbvio que você não vai precisar perguntar quando estiver bom porque minha cara vai denunciar, meus gemidos vão denunciar e minha gozada segurando seu cabelo e tentando encontrar o ar que você me tirou também vai falar mais alto nesta hora.

A verdade é que eu olho pra tua boca, pro teu sorriso, pro teu conjunto e choro. Por algum lugar que você não vê escorrer.

Cai uma lágrima que me diz "o que estamos fazendo que ainda não estamos trepando com esta boca maravilhosa?".

Tem de haver uma explicação plausível para a nossa perda de tempo. Até porque, se eu conseguir dar vazão a tudo que quero fazer contigo, talvez um dia seja pouco.

E por mais que pensemos que teremos todo o tempo do mundo, eu gostaria de dizer que cada foda adiada é uma foda perdida. E eu quero todas que eu puder contigo daqui pra frente e enquanto eu puder sentar nesta tua cara deliciosa eu sentarei.

Quero passar você em mim como quem se lambuza de protetor solar num dia de sol e foda-se, essa foi a melhor analogia que eu pensei agora.

Vem aqui, então, rapidinho, deixa eu sentar na sua cara só pra ver uma coisinha.

Sorriso lindo, gente!