TESÃO À PRIMEIRA VISTA

Alguns encontros são como acertos na loteria, uma raspada de sorte naquelas cartelas da banca ou um prêmio despretensioso depois de um bingo.

Não, sexo e amor não podem ser encarados como jogos de azar, mas as analogias estão aí pra isso e é por isso que todo meio do caminho que é economizado e encurtado para os "finalmentes" merece virar uma coisa boa. Ou uma história foda, pelo menos.

Não cabe a mim virar pra vocês e dizer "dar no primeiro encontro é roubada" ou o contrário. Acho que todas essas regulamentações só atrapalham.

Quer? Faça! Não quer? Não faça. Tá em dúvida? Vai se arrepender? Não responda todas as questões com "a vida é uma só". Essa é uma frase que causa grandes transtornos apesar de sua óbvia genialidade.

A única que eu sempre vou defender com unhas e dentes é a reciprocidade - com a belíssima ressalva de que só as coisas boas a merecem. Passou disso é vingancinha desnecessária.

Então, se o tesão é recíproco, a vontade idem e o desejo de jogar fora as roupas e viver um sexo incrível toma conta do corpo, qual é o problema?

Tesão à primeira vista existe.

Foda é chegar e dizer: oi, quero te dar. Ou quero te comer. Entendo que, sim, pode assustar. Até a pessoa mais "pra frente" se assustaria, mas tudo depende.

TUDO NA VIDA DEPENDE.

Nesse caso em si, eu não hesitaria em dizer "gosto de você e me sinto atraído". Talvez com um textinho maior. Talvez com uma encarada. Talvez com ansiedade ou até um medo de soar precipitado.

Mas, encontrando a recíproca do lado de lá, me jogaria. Levaria mais essa história ou, indo além do tesão, cultivaria cada capítulo de intensidade e volúpia. Luxúria. Pecado...

Brincadeiras à parte, que todo o tesão em mim seja perdoado porque metade da minha imaginação já pensa besteira sozinha e a outra metade desgraça tudo quando imagina o que quer fazer na próxima transa.