SINCERAMENTE EU ADMIRO A SAFADA

COM SENTIMENTOS QUE SOU.

Às vezes eu fico admirada com o tanto de besteira que a imaginação consegue pensar em pouco tempo. Se houvesse um concurso, talvez ganhasse.

E sabe quando você olha pra uma parede branca e já pensa em sexo? Então, sou eu.

Óbvio que tem horas e horas, épocas e épocas. Quando tô com alguém, mando mensagem, provoco. Me deixo levar na sedução e sei usar dela também quando devo.

Confesso que curto ficar na conchinha, roçando um no outro e pegando no sono juntos. Mesmo que não tenha um apego maior, é gostoso dividir um momento assim com alguém que te faz gozar.

Acho que no fundo, eu sinto um orgulhinho por ser essa safada com sentimentos. Alguém que se preocupa com o prazer de quem divide a cama (ou não exatamente a cama), alguém que vai se esforçar para pelo menos deixar uma boa recordação.

Até porque a foda pode ser de uma noite, mas uma trepada gostosa acaba sendo levada para sempre.

Mas tenho meus instantes de solidão, de ficar comigo mesma e sexo é uma das últimas coisas que penso. Pelo menos com outra pessoa.

Me satisfaço e recomendo a todas as mulheres: descubram-se.

Nada é mais libertador do que saber os limites do seu próprio prazer.

Assim, de fases em fases, vou levando esse fogo que já me fez cometer burrices, que já me fez colocar os pés pelas mãos e pensar mais com qualquer outra parte do corpo que não o cabeça.

Não acho que seja questão de rotular em ser "alguém intenso" ou não, mas é que aprendi cedo a viver as coisas que quero, pesar as consequências e não ser refém do que os outros pensam.

Quem sabe de mim sou eu. Quem sabe o que faço, pra quem eu dou, com quem eu me envolvo, de que jeito a banda toca. Sou eu.

E sendo safada ou não, dá um orgulho danado em ser assim.

Mas nem adianta negar. Tem dias que eu acordo pensando em sexo. Passo o dia pensando em sexo.

Foda é quando não tem ninguém pra matar a vontade.