BASTOU A GENTE FODER, EU VI, TAVA FODIDO!

Eu nunca fui muito certo.

Entre os amigos eu era conhecido por não me apegar.

Solteiro, sem dever porra nenhuma a ninguém, eu vivia minha vida.

Eu era meio babaca? Talvez.

Mas era porque as garotas com quem eu me relacionava diziam que eu era "sincero demais".

Foda.

Não importa o que você seja, sempre acharão algum defeito para criticarem.

Até um dia - e eu acredito que a vida seja feita desses dias - passou pela minha cama alguém que eu não quis que fosse embora.

Bastou a gente foder e eu vi: tava fodido.

Talvez você me pergunte "o que ela tinha de tão diferente?". Porra, não sei.

Não sei chegar e dizer se foi a sentada, a chupada ou o jeito que ela me olhou quando gozou.

Não sei se foi o fato dela ter ido embora na primeira vez, pedindo um Uber e soltando "da próxima vez vai ser melhor, né?". Ou se foi por ter sido muito do caralho a segunda vez. E a terceira. Até que ela sumiu.

Tem gente que fala que ela fez comigo o que eu cansei de fazer.

Tem gente que diz que eu posso, realmente, ter começado a gostar - mas não estava acostumado com o sentimento.

Eu, quando me olho no espelho, sei que alguma coisa diferente rolou. Agora estou aqui, em pé na porta do apartamento dela, com uma rosa na mão e a vontade de ficar.

Não que eu esteja sendo alguém que nunca fui, mas acredito que depois de conhecê-la, transar com ela, fazer algo que já muito tempo não fazia (amor talvez?), eu esteja me encontrando com outra pessoa.

Outro que estou gostando de conhecer. E ser.

E eu acho que sou bem grandinho pra não enxergar algumas situações.

Pode dizer que eu mereço ficar sozinho.

Você não sabe da missa o terço.

Mas tô aqui, não tô? Fodido ou não, aqui estou.

E se ela quiser, eu quero.

A vontade de tocar a campainha e sair correndo existe, mas ela nunca foi maior que a vontade de vê-la abrindo a porta e um sorriso pra mim.