ENQUANTO FALO

(Philipe Batista)

.

Deitado ao lado de um vulcão em brasas

Ardo em desejo e aponto o céu enquanto falo

Falo tanto que grito silenciosamente em brasas vivas 

Enquanto falo sinto meu ser envolvido 

Círculos que consomem no encaixe

Círculos que giram e mastigam com gula

Enquanto giram sobre discursos mudos 

Círculos que movimentam corpos

Enquanto falo  devorado 

Convulsiono numa boca faminta 

Que morde sem dentes enquanto busca

A vida esbranquiçada que brota do discurso enquanto falo

Tanto busca que recebe em si boca quente o pulsar constante

De uma fala que declara o ser do Falo consumido em sua missão poética